O quinto episódio de Loki aumentou ainda mais as expectativas para ver a grande revelação de Kang como o responsável pela AVT. Mas diante desta discussão, muitos devem estar se questionando quem é este personagem da Marvel e qual o motivo para tanta euforia. Pensando nisso, resolvemos fazer este artigo para lhe guiar nas teorias do futuro do MCU!

Kang é um vilão criado no início da década de 60 por Stan Lee e Jack Kirby. Inicialmente, sua introdução foi como Rama-Tut, antagonizando nos quadrinhos do Quarteto Fantástico em 1963. Mas em 1964 em Avengers #8, ele voltaria a aparecer, agora assumindo seu nome mais popular. Assim, o personagem ficaria marcado por assumir diversas identidades diferentes ao longo dos anos.

Sua história de origem começa na Terra-6311, no século 30 e seu nome verdadeiro é Nathaniel Richards. Ele é uma versão alternativa para o pai do Reed Richards, o Senhor Fantástico que vive na Terra 616 (a principal da Marvel nos quadrinhos). Um belo dia, o Nathaniel da Terra 616 sob o nome de Benfeitor, decide viajar para uma realidade que pudesse evitar que existisse a Idade Média, evitando todas as guerras da história da humanidade com sua tecnologia. Assim, ele cria uma sociedade totalmente pacifista.

Kang, descobre a Máquina do Tempo do Benfeitor e passa a utiliza-la com todo o seu conhecimento sobre robótica. Após viver anos entediado com a paz, ele passa a viajar pelo tempo conquistando diferentes civilizações. Isso explica a sua primeira aparição como Rama-Tut enfrentando o Quarteto Fantástico e logo depois os Vingadores.

Possíveis spoilers de Loki logo abaixo

Qual seria a sua ligação com a AVT e com a série do Loki?

Reprodução/ScreenRant

Kang é paticamente uma entidade temporal que não pode ser controlada. Viajar pelo tempo infinitamente fez com que se criasse paradoxos temporais, multiplicando sua existência ao longo do tempo e em outras realidades. Existem tantas versões de si mesmo, que nos quadrinhos já existiu um Conselho de Kangs para julgar as suas ações.

Conselho dos Kangs – Reprodução/Marvel

Um de seus principais inimigos é a AVT, já que suas infinitas versões provocam um verdadeiro caos na realidade. Partindo desse contexto, Loki é um parque de diversões de referências a Kang. Estamos falando de um personagem ligado à organização vilã, que tem múltiplas variantes e com diferentes propósitos; e durante o episódio 5 recebeu algumas referências bem interessantes.

Alioth, a nuvem cósmica que é o grande nemesis deste episódio, é um dos rivais de Kang, já que nos quadrinhos Alioth absorve energia temporal. Sendo assim, Kang é um prato cheio para a criatura e ambos vivem travando embates. Em outro momento, é possível ver em Vazio (o limbo da AVT), a Torre dos Vingadores com a logo da Qeng. Essa é a empresa de fachada do vilão que compra a Torre Stark nos quadrinhos. Como se isso não fosse o bastante, ele ainda tem um histórico com uma personagem importante da série: Ravonna Renslayer.

A personagem que na série até então é apenas uma juíza, nos quadrinhos ela é uma Princesa do Século 40 da Terra-6311. Kang ao viajar para este futuro, se apaixona por Ravonna, mas não é correspondido. Até que ao se sacrificar pela vida da amada, ela deixa de menospreza-lo e passa a atuar junto ao seu lado.

Ravonna nos quadrinhos – Reprodução/Marvel Comics

Kang controla a AVT ou é o novo Mephisto?

Sabemos que os Guardiões do Tempo não comandam a AVT, pois não passam de androides. No entanto, ficou o grande mistério sobre quem é o responsável por este controle temporal. Por mais que nos quadrinhos Kang e AVT sejam rivais, a Marvel pode dar uma simplificada no conflito e unir os dois. O estúdio é conhecido justamente por não seguir à risca o material original, mas usá-lo como base para criar novas ideias.

Fan-Art de Jonathan Majors como Kang

WandaVision por um lado, nos ensinou que muitas vezes a especulação e expectativa acaba sendo uma grande vilã. Na ocasião, se esperava a presença do Doutor Estranho, realidades alternativas e o Mephisto, mas tudo não passou de pequenas referências.

Só que, desta vez, existe sim a possibilidade de não ser apenas uma grande coincidência. Kang está confirmado em Homem-Formiga e a Vespa: Quantumania, que estreia apenas em 2023. O ator escalado para o papel é Jonathan Majors (Lovecraft Country), confirmado pelo estúdio em dezembro de 2020, cujo papel já havia sido vazado meses antes.

Ou seja, em algum momento ele irá dar as caras. Se existem referências à sua existência, seria muito estranho se no fim nada se ligasse a ele. Por isso, mesmo que Kang não apareça nesta série, os pequenos detalhes podem ser muito importantes lá na frente.

Respostas na próxima semana

Teorias à parte, vamos ter respostas apenas na próxima semana, quando chega o último episódio de Loki. Existe a chance do Rei Loki ser o grande responsável por tudo. Isso faria sentido na narrativa que gira em torno de diversos Lokis diferentes e fala sobre o que faz o Deus da Trapaça ser quem ele é.

  • Então siga o Retalho no Instagram e no Twitter para conteúdos inéditos
  • Mas também fique ligado no Retalho para artigos e notícias da cultura pop