Stranger Things chegou ao catálogo da Netflix em 2016, sem alarde ou expectativas. De repente, o boca a boca fez com que a série se tornasse um dos maiores sucessos daquele ano e os Irmãos Duffer passaram a planejar mais quatro temporadas. O motivo para o sucesso varia de pessoa a pessoa, o que explica esse fenômeno tão gigantesco.

Há quem simplesmente goste da história, dos personagens, os conceitos de mundo invertido, demogorgons e etc; há os apaixonados por histórias clássicas de terror ou quem se sente nostálgico pelos anos 80, desde a caracterização até a trilha sonora.

Reprodução/Divulgação

Tendo um público grande e fiel, a série acabou se tornando uma grande oportunidade para engajamento de marcas. Um exemplo está na rede Burger King, que personalizou alguns de seus restaurantes e colocou um combo especial em seu cardápio. Dias depois da estreia da quarta temporada já não era mais possível encontrar o combo e um restaurante da Avenida Paulista, em São Paulo, formava uma fila quilométrica de fãs. Entre os presentes, muitos já estavam com camisetas do Clube Hellfire e dos Tigers, que apareceram apenas nesses novos episódios.

Isso sem contar os licenciamentos para marcas de cosméticos, como a Impala e a MAC (que renderam esmaltes e maquiagens da série); parceria com a Lacta para embalagens de Bis temáticas; All-Star personalizado e muitos outros produtos. Todos com uma demanda muito alta e as vezes até difícil de encontrar por vender bastante.

Um método clássico

Reprodução/Netflix

Stranger Things abusa bastante de product placement, ou seja, estampa as marcas dentro da própria série. Muitas produções acabam fazendo essas propagandas pois ajuda a pagar o investimento. No entanto, alguns acabam de usar diversas marcas e ter que abrir concessões a elas, perdendo o foco da narrativa. A série da Netflix sabe seguir o caminho oposto, agregando propaganda e história.

A Coca-Cola está estampada em um dos momentos mais icônicos da série em que a Eleven está tentando usar seus poderes pela primeira vez. A BMW está estampada no carro de Steve, fundamental na quarta temporada para transportar Max, Dustin, Lucas, Robin e Nancy durante os episódios. Isso faz com que a gente enquanto espectador crie um vínculo com essas marcas por estarem conectadas aos personagens.

Reprodução/Netflix

Mas e as marcas que não estão na série? Bom, nesse caso elas acabam se apropriando dos próprios elementos criados e desenvolvidos ao longo desses seis anos. A linha de maquiagem da MAC por exemplo tem forte inspiração nas makes dos anos 80. Já outras empresas brincam com o Mundo Invertido para experiências imersas, como a operadora Claro e o APP do Burger King.

Então essas campanhas além de evidenciar a originalidade da série, ainda nos fazem querer ter os seus produtos. Por isso vende e a cada nova temporada só aumenta o número de marcas envolvidas na divulgação.

Essa prática era muito comum de acontecer com filmes, mas depois de Stranger Things podemos esperar várias ações deste tipo com outras séries!

O Volume 2 da quarta temporada chega no streaming nesta sexta-feira (01).

  • Gostou? Então siga o Retalho no Instagram e no Twitter para mais conteúdo;
  • Mas também fique ligado no Retalho para mais críticas e notícias da cultura pop