Revisado por Maria Oliveira

Entre os dias 27 e 31 de julho, aconteceu em São Paulo a Ucconx (sigla para Universe Creative Convention), um evento que prometia misturar games, séries, filmes e skate em um só lugar. Entre as grandes atrações anunciadas semanas antes estavam Millie Bobby Brown (Stranger Things), George Takei (Star Trek), Ian Somerhalder (The Vampire Diaries) e Rupert Grint (Harry Potter).

A organização da Ucconx escolheu o Centro de Convenções do Anhembi, o que permitiu ser o maior evento da América Latina em espaço. Essa façanha teve bastante destaque durante a divulgação, pois significava que poderia bater de frente com a já estabelecida CCXP.

No entanto, vídeos do primeiro dia mostravam o evento completamente vazio e com grandes áreas abertas, consequência da falta de estandes e poucos parceiros. Ao mesmo tempo, chegava à imprensa a notícia que Mille Bobby Brown e George Takei cancelaram suas idas após “terem testado positivo para Covid-19”.

Horas depois a organização voltou atrás e deu um novo comunicado sobre o real motivo do cancelamento. A ausência de Takei teria se dado por seu marido ter pego Covid, já a de Brown seria por “compromissos de carreira”.

Para encerrar o caótico primeiro dia, ex-funcionários que trabalharam nos bastidores do evento denunciaram ter meses de salários atrasados desde 2021. Houve cerca de quatro equipes diferentes, até que em janeiro de 2022 a empresa decretou falência e desligou todos os funcionários, para que em fevereiro a BBL assumisse a organização com um novo quadro de pessoas.

O Retalho teve acesso a alguns desses ex-funcionários e a documentos com processos abertos no nome dos antigos sócios antes da venda. Confira toda a história abaixo:

O começo: os sócios problemáticos

*alguns nomes serão mantidos em sigilo, já que os processos estão em andamento

Conversamos com Hugo Melo, um dos ex-funcionários da equipe de marketing da Ucconx que viralizou no Twitter após publicar uma sequência de denúncias contendo suas vivências e descobertas. Ele passou a investigar a fundo a vida dos antigos sócios da empresa quando os salários começaram a atrasar. Parecia que havia algo de errado acontecendo e realmente tinha.

Melo nos conta que a Uccon Marketing (antiga empresa responsável) surgiu em 2019. Dois sócios surgem procurando investidores para um evento de cultura pop capaz de competir com a CCXP. Eles dizem ter grande experiência em eventos de grande porte, sendo um dos sócios responsável por uma “grande feira de noivas” em São Paulo. Eles até prometiam já ter acertado a vinda de Chris Hemsworth, o Thor da Marvel Studios, seduzindo muita gente para trabalhar com eles.

Só que a partir da investigação, é descoberto que o evento de noivas não era tão relevante assim e o ator nunca esteve confirmado de fato.

Um novo sócio entra no projeto para ser responsável pela parte comercial. Ele traz consigo um investidor que injeta R$ 7 milhões para que as coisas saíssem do papel. No entanto, em poucos meses todo o dinheiro havia sido gasto em bens pessoais dos sócios. Assustado com esse acontecimento, o investidor solicita um extrato com as contas da empresa, percebe que houve um desvio de dinheiro, e abre um processo em março de 2021.

Tivemos acesso a esse processo, que detalha que cerca de R$ 1 milhão foi gasto em uma empresa de roupas. Entretanto, quando procurada, a empresa negou ter havido qualquer transação nesse valor. Apenas foi sabido que um dos sócios tinha acesso às contas desta empresa já que ele era o antigo responsável financeiro.

Do céu ao inferno: dívidas e falsas promessas

Aproximadamente quatro equipes diferentes trabalharam na organização da Ucconx. Hugo Melo nos conta que uma das ex-funcionárias que também viralizou com denúncias vinha de uma equipe anterior à sua. Mesmo assim, ambos relatam ter tido falsas promessas de pagamento após o primeiro atraso até que repentinamente os diretores resolveram sumir.

Esse era um problema presente não apenas na relação com os funcionários, mas até mesmo com contas básicas. Nos documentos que tivemos acesso, soubemos que a Uccon Marketing tem um processo aberto por falta de pagamento da conta de internet em novembro de 2020. Enquanto isso, Hugo que entrou na empresa em julho de 2021, relata que os sócios chegaram a comprar um carro Porsche para cada e ostentavam isso pelo escritório.

Quando os salários começaram a atrasar, eles pediam para que o trabalho continuasse por “amor ao projeto”. Ainda assim, constantemente os funcionários eram acusados de serem responsáveis pelas crises da empresa e do evento não estar chamando a atenção do público.

Havia um certo desespero para que a Ucconx acontecesse. Em novembro de 2021 começou a pré-venda, mesmo que o trabalho ainda estivesse em estágios iniciais e nenhuma atração havia sido confirmada. Nem mesmo o site estava pronto e após apresentar instabilidades, teve que ser tirado do ar sob a desculpa de que a pré-venda estava esgotada.

Evento cancelado/Evento ressuscitado: Surge a BBL

Reprodução/SBT

Em janeiro de 2022, a Uccon Marketing decreta falência e desliga todos os seus funcionários. Por conta de estarem registrados como pessoas jurídicas e não com CLT, a empresa não tem a obrigação de pagar qualquer direito trabalhista. Entretanto, não houve nenhuma definição sobre como os salários atrasados seriam pagos. Hugo nos relata que a única resposta dada pela antiga diretoria foi um bloqueio em todas as redes sociais e banimento do grupo no WhatsApp.

A Ucconx tinha a assessoria da agência BCBiz, bastante prestigiada no meio pop, mas que também acabou saindo do projeto. A reportagem entrou em contato para obter detalhes da relação no período em que eles estavam responsáveis pela divulgação, mas ninguém quis comentar sobre o assunto.

A Ucconx parecia distante de acontecer, até que a BBL E-Sports, conhecida por realizar eventos de grande porte, surge em maio como salvadora do projeto e começa a agir rapidamente para que o evento acontecesse ainda em julho. Um dos antigos sócios ainda possui ligação com o evento, já que ele tinha o contrato assinado de exclusividade com o Centro de Convenções do Anhembi.

Quando o anúncio surgiu nas redes sociais, alguns ex-funcionários publicaram as primeiras denúncias contra a empresa – ainda sem a proporção que viria a ter mais tarde. A BBL chegou a entrar em contato individualmente com essas pessoas, propondo um acordo para aqueles cuja a dívida não era tão alta. O valor total seria parcelado em dez vezes e quem aceitasse ainda teria que se comprometer em não se pronunciar sobre o evento. Apenas 4 pessoas teriam topado este acordo.

Oficialmente, a BBL nega conhecimento sobre qualquer problema judicial. A empresa não teria responsabilidade por qualquer questão financeira da antiga organização já que teria apenas os direitos sobre o nome. No entanto, a própria empresa alega ter feito a aquisição em novembro, justamente quando os salários começaram a atrasar.

O investidor que já havia movido um processo anteriormente, moveu um novo dias antes da realização da Ucconx (na qual também tivemos acesso). Ele coloca que não teria como a negociação ter sido feita sem o conhecimento dos débitos anteriores e mesmo que isso tenha sido feito, aconteceu uma grande falta de cuidado na hora de concluir o negócio.

Leo De Biase, fundador da BBL, se tornou o rosto por trás do evento, até sendo convidado pelo programa The Noite com Danilo Gentili para divulgá-lo. Quando os casos estouraram, a entrevista foi removida das plataformas do SBT e o seu perfil nas redes sociais deixou de ser público. A reportagem tentou entrar em contato, mas até o momento da publicação não obteve resposta.

Começa a Ucconx: Um grande meme

Área aberta da Ucconx – Reprodução/Twitter

A Ucconx começou na quarta-feira (27) e os vídeos destacavam como o evento era vazio, sem estandes e duas atrações já tinham cancelado suas idas. Mas o que mais chamou atenção foi a loja falsa da Piticas, vendendo produtos falsificados de Harry Potter. No dia seguinte o estande deixou de existir, ficando apenas um espaço vazio com alguns cupons fiscais deixados para trás.

Entramos em contato com a assessoria da Piticas e até o momento da publicação não sabe explicar o que aconteceu.

A revolta de quem havia comprado os ingressos começou a ser generalizada, principalmente por causa dos valores. O ingresso mais barato (a meia-entrada) custava R$ 200 e o meet and greet com os atores ia até a bagatela de R$ 5 mil. Os atores Ian Somerhalder, Rupert Grint e Dacre Montgomery estiveram presentes de fato, mas a experiência não foi das melhores. Segundo relatos dos visitantes, não havia sequer papel para autógrafos no dia do ator de The Vampire Diaries. A solução improvisada pelo astro foi usar folhas de caderno!

Algumas pessoas também relataram que houve distribuição de ingressos VIP, já que a procura havia sido baixa, o que provocou ainda mais a ira dos que pagaram. Ainda nesse sentido, funcionários públicos de diversos setores receberam uma grande quantidade de ingressos, numa possível tentativa de encher o centro de convenções.

Outro ponto que chamou a atenção foi a falta de artistas no Artists Alley, que ficou bastante vazio e longe dos 100 prometidos pela organização. Já os cosplayers criticaram o fato de que precisavam pagar para serem fotografados.

Artists Alley completamente vazio nos primeiros dias de evento – Reprodução/Twitter

Mais processos

A BBL foi acionada pelo Procon e tem até sexta-feira para responder sobre o cancelamento de Millie Bobby Brown e George Takei. A organização precisa explicar o motivo real das ausências e quando eles ficaram sabendo, já que avisaram apenas quando o evento já estava acontecendo.

Os ex-funcionários também estão movendo processos contra a empresa exigindo que os salários sejam pagos, ainda com acréscimo de multa pela quebra contratual.

É uma história longe de encontrar o seu fim, visto que ainda há detalhes a serem expostos.

A equipe do Retalho se coloca à disposição para ouvir ambos os lados. Entre em contato em contatodoretalho@gmail.com.

  • Gostou? Então siga o Retalho no Instagram e no Twitter para mais conteúdo;
  • Mas também fique ligado no Retalho para mais críticas e notícias da cultura pop