Ícone dos filmes de comédia e do stand-up, Robin Williams completaria 69 anos nesta terça-feira (21). O ator cometeu suicídio em 2014, quando tinha 63 anos, deixando tanto seus fãs quanto qualquer amante de cinema devastado. Um pouco mais tarde, sua terceira esposa Susan Schneider revelou que Williams sofria de Demência de Corpos de Lewy, uma doença causada pela degeneração das células nervosas do cérebro cuja alguns dos sintomas são delírios, depressão, flutuação do estado mental, alucinações entre outros.

Sua morte acabou chocando diversas celebridades, que logo prestaram homenagens ao ator e humorista. Oprah, David Letterman e Billy Crystal foram alguns de vários nomes que dedicaram um espaço de seus programas para Robin Williams. O apresentador Jimmy Fallon chegou a abrir um de seus episódios exibindo a primeira vez em que o ator participou do programa, ele também chegou a chamar Williams de “o Muhammad Ali da comédia” e recriou uma das mais memoráveis cenas de um de seus filmes, Sociedade dos Poetas Mortos, de 1989. Assista abaixo:

Como uma forma de relembrar a carreira do ator, dublador e comediante, O Retalho listou alguns dos momentos mais marcantes da vida de Robin Williams. Confira:

Voz marcante

Robin Williams foi presente na infância de diversas gerações por dar a voz ao Gênio da Lâmpada na animação Aladdin, da Disney, de 1992. O filme chegou a ganhar uma adaptação live-action em 2019, com Will Smith na pele do personagem. O ator não demorou para prestar uma homenagem ao antecessor do Gênio nas redes sociais.

A voz original do Gênio da Lâmpada rendeu ao ator oportunidades para outros trabalhos com voz original, dublagem e narração. Como no filme AI – Inteligência Artificial, de 2001 dirigido por Steven Spielberg; as animações Robôs (2005) e Happy Feet (2006).

Vida na comédia

Foi graças ao seu talento no humor que Robin Williams tornou-se quem foi. Nascido em 21 de julho de 1951 em Chicago, nos Estados Unidos, sua carreira começou como comediante em apresentações de stand-up. Sua primeira performance foi em um bar em São Francisco, cidade em que se apresentou inúmeras vezes até ganhar notoriedade ao aparecer no programa de televisão The Richard Pryor Show, do canal pago NBC.

Foto: Reprodução

No fim dos anos 70, Williams ganhou o papel do alienígena Mork no programa Mork & Mindy, sua performance acabou lhe garantindo seu primeiro Globo de Ouro em 1979, além de ter sido o pontapé inicial para sua carreira decolar.

Robin também gravou diversos álbuns de comédia e faturou quatro estatuetas do Grammy na categoria com os trabalhos: Reality…What a Concept (1980), A Night at the Met (1989), Good Morning, Vietnam (2003) e Robin Williams Live (2002).

Carreira cinematográfica

Apaixonado em atuar, Robin Williams é um dos maiores nomes de Hollywood nos filmes de comédia, embora também tenha vivido papéis marcantes em filmes de drama. De acordo com sua página no IMDb, ele e o Steven Spielberg tinham uma amizade muito próxima, que acabou resultando no longa-metragem de 1991, Hook – A Volta do Capitão Gancho, em que Williams vive Peter Pan.

Após a morte do ator, Spielberg revelou que Robin o ajudou a enfrentar o cansaço mental, pressão e stress no set de A Lista de Schindler, em 1992: “Ele me ligava e fazia 15 minutos de comédia stand-up ao telefone“, disse à imprensa, em um evento do Festival de Cinema de Tribeca. “Ele só desligava o telefone ao tirar a máxima gargalhada de mim.

Foto: Reprodução

Seu primeiro trabalho para o cinema foi Óculos pra quê?, em 1977. Três anos depois, o ator viveu uma adaptação live-action do personagem Popeye no filme homônimo. Sua primeira performance que lhe rendeu uma indicação ao Oscar aconteceu em 1988 com Bom dia, Vietnã, seguida por mais três: Sociedade dos Poetas Mortos (1989), O Pescador de Ilusões (1992) e Gênio Indomável (1993), esta última garantindo o prêmio na categoria de Melhor Ator Coadjuvante.

Além do Globo de Ouro pelo personagem Mork na sitcom de 1979, Robin ganhou mais três estatuetas da premiação Bom dia, Vietnã (1988), O Pescador de Ilusões (1992) e Uma Babá quase Perfeita (1993). Em 2005, recebeu o prêmio Cecil B. DeMille pelo conjunto da obra.

O mundo pós-Robin Williams

Em 2018 a HBO anunciou que lançaria um documentário sobre a vida do artista, Robin Williams: Come Inside My Mind estreou na TV fechada no dia 6 de agosto daquele ano, com direção de Marina Zenovich. Com quase duas horas de duração e narração de ninguém menos que Robin, o longa percorre desde os anos 1970 até os meses antes de sua morte, contando detalhes da vida profissional e pessoal do ator de maneira divertida e garantindo total entrega do espectador; porém, ao mesmo tempo, aborda sem cerimônias as fases delicadas da vida do artista, como divórcios, inseguranças e vícios.

Além disso, no dia primeiro de abril deste ano, o site de Robin Williams foi tomado por um anúncio de um canal no YouTube com conteúdos exclusivos do ator e humorista (acesse aqui). Intitulado Robin Williams: Comic Genius, o projeto é uma iniciativa da TimeLife, e tem como objetivo relembrar e diversos momentos da carreira do comediante. O conteúdo também está disponível para compra em uma compilação com mais de 100 apresentações de stand-up de Williams, em formato DVD.

Se você conheceu Robin no palco ou na tela, como comediante, alienígena ou gênio – o público pode se inscrever no canal e estar preparado para rir e chorar com performances inesquecíveis e hilárias de seu talento singular”, descreve a página.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui