A logo da Warner Bros. aparece na tela e logo em seguida começa a tocar “I Believe I Can Fly”. Space Jam foi um marco para muitas crianças e adolescentes dos anos 90 e começo dos anos 2000 e uma peça fundamental para a popularização da NBA no mundo ao lado dos Looney Tunes. Se poucos conheciam até 96 quem era Michael Jordan e seu lendário Chicago Bulls, o filme fez questão de ressaltar a sua importância.

25 anos depois, a NBA é uma das ligas esportivas mais assistidas do mundo, com uma legião de fãs e torcedores fieis às suas franquias. Já os Looney Tunes estão passando por um processo de atualização para uma nova geração que não se afeiçoa tanto a Pernalonga e seus amigos.

Por isso, Space Jam: Um Novo Legado, chega em 2021 para unir as forças entre basquete e Looney Tunes para revitalizar a marca mais antiga da Warner Bros. Mas não só isso, como abraçar as novas franquias e homenageá-las das mais diversas formas possíveis.

Reprodução/Warner Bros.

LeBron “King” James

O maior destaque do filme é LeBron James. O astro é vencedor de quatro troféus da NBA, dois com o Miami Heat, um com o Cleveland Cavaliers e o mais recente com o Los Angeles Lakers. Ele é o primeiro atleta da história a ser o MVP das finais (Sigla em inglês para Jogador Mais Valioso) por três franquias diferentes. Ou seja, é alguém a altura de um Michael Jordan no primeiro filme, sendo até considerado superior por alguns torcedores.

Com esse histórico, o filme passa a criar o personagem em cima da figura real para contar a sua história. Curiosamente, este não é um filme que vai bajular a figura do LeBron, como alguém sem defeitos. Pelo contrário, o roteiro usa suas falhas para construir uma história onde ele tem problemas em querer controlar e fazer com que os outros sejam como ele.

James usou o basquete para ser alguém na vida, focando e sendo determinado a conquistar grandes feitos. Logo, ele cobra que as pessoas ao seu redor sejam como ele mesmo, o que não é possível numa relação entre pai e filho. Claro que ainda estamos falando de um filme infantil, mas é curioso ver este arco narrativo em um filme que sequer é biográfico. Até sua constante transferência de franquias vira motivo de discussão na trama.

Ao perceber que LeBron tem problemas com o filho, o maligno algoritmo da Warner Bros, o A.G. (vivido por Don Cheadle), o rapta e obriga o astro a participar de um jogo de basquete. Mas este não seria um jogo tradicional, e sim um baseado em um videogame onde todos os limites da lógica são testados.

Reprodução/Warner Bros.

Os Looney Tunes

Bron é jogado no universo dos Looney Tunes, mas que para sua surpresa, está habitado apenas pelo Pernalonga. A.G., por ser um algoritmo, determinou que os personagens não tinham mais graça e os mandou para outros mundos do universo Warner. Então, na tentativa de reunir um novo time, Pernalonga faz uma parceria com LeBron e ambos saem recrutando os personagens clássicos como Patolino, a Vovó, Piu-Piu, Frajola e entre outros.

É bastante emocionante acompanhar a volta desses personagens em uma telona, principalmente por eles estarem dentro de suas essências. O humor extremamente gráfico e absurdo se faz presente e dá um doce gosto tal como se fosse um convite para relembrar a infância.

Mas não seria uma obra moderna sem ter referências a outras franquias da cultura pop. O novo Space Jam é praticamente uma ostentação da WarnerMedia de suas diversas franquias como Game of Thrones, King Kong, Harry Potter, DC Comics, Rick and Morty e entre outras.

Ainda assim, quem rouba mesmo a cena são os Looney Tunes, que provam para si mesmos e para o público que mesmo após tantos anos passados de sua criação, ainda conseguem mandar bem.

Reprodução/Warner Bros.

Para quem é esse filme?

Space Jam: Um Novo Legado é um filme que não tem vergonha de achar graça de suas situações. Já houve um outro filme em que um astro do basquete aparece para jogar com desenhos animados e vira motivo de piada na nova aventura. O fato de todo o universo Warner estar conectado também rende momentos icônicos e engraçados. O problema é quando pensamos em quem é o público alvo deste filme.

Inicialmente é fácil pensar que esta é uma produção dedicada ao público infantil, no entanto, como será possível uma criança entender inúmeras referências de obras antigas como Casablanca, ou cuja classificação indicativa é para maiores? Existe um longo momento de referências a essas produções que certamente não vai chamar a atenção dos mais novos. Quem não acompanha a NBA atualmente, também pode ficar perdido com algumas piadas sobre a carreira do LeBron, ou sobre as transmissões americanas.

Pensando na visão que a WarnerMedia está adotando atualmente, parece ter sido uma decisão apenas de divulgar suas obras, mas sem pensar em quem estará vendo. Ainda assim, não estraga a diversão que o filme no geral oferece.

Veredito

Space Jam: Um Novo Legado é um filme extremamente divertido, talvez uma das experiências mais divertidas do ano. Isso é o que faz o filme de 96 ser um clássico, ainda que hoje saibamos o quão sofrível é Michael Jordan atuando. Isso nunca importou, por ser uma aventura gostosa de assistir com a família, sozinho ou com amigos.

Às vezes nos preocupamos tanto com aventuras que sejam mirabolantes, que se liguem com algo bombástico no futuro, ou traga reviravoltas inacreditáveis, que esquecemos o quão divertido pode ser uma aventura. A moral da história aqui, é valorizar aquilo que nos faz sentir bem, e o filme entrega o que aborda.

O filme chega aos cinemas neste dia 15 de julho e após 35 dias em cartaz, chegará ao HBO Max.

  • Siga o Retalho no Instagram e no Twitter para conteúdos inéditos
  • Mas também fique ligado no Retalho para artigos e notícias da cultura pop