Esta matéria foi feita graças a sugestão da nossa seguidora Ana Nobre em nosso Instagram. Para mais conteúdo deste tipo, nos envie sugestões em nossas redes sociais.

A lista dos indicados ao Globo de Ouro 2021 foi revelada no começo de fevereiro e trouxe diversas polêmicas – algo já característico da premiação. O principal deles foi a nomeação do filme Music, dirigido e roteirizado pela cantora e produtora Sia, para a categoria de melhor filme de comédia ou musical.

Antes só é preciso explicar que este texto não é uma análise do filme, já que não está disponível para o público. Mas é necessário levantar a discussão social entorno do que aconteceu na produção e como isto repercutiu.

O motivo de espanto e polêmica, se deve ao fato de que o filme tem como personagem principal uma adolescente autista que é apaixonada por música. Entretanto, a atriz escalada para o papel foi Maddie Ziegler, conhecida por ser dançarina nos clipes da diretora. Maddie não é autista e sua atuação estereotipou o autismo, representando a personagem como se tivesse deficiência intelectual.

Desde que o filme se tornou de conhecimento público, a comunidade tem se manifestado nas redes sociais questionando o motivo da escalação, afinal, existem atrizes autistas em Hollywood.

Confira o trailer logo abaixo:

Segundo Somer Bishop, psicólogo clínico da Universidade da Califórnia, apesar de muitas vezes haver uma confusão entre deficiência intelectual e autismo, existem diferenças. Deficiência intelectual está ligada a dificuldades de raciocínio, resolução de problemas, compreensão de ideias complexas e outras habilidades cognitivas. Enquanto autismo está ligado a dificuldades sociais, problemas de comunicação e comportamentos repetitivos (via Progene).

Uma compreensão sobre o assunto é fácil de se achar fazendo uma simples consulta ao Google. Porém Sia defendeu seu filme durante a divulgação ainda em 2020, enquanto recebia ataques dela sua decisão criativa. A cantora dizia estar representando a comunidade autista e aos cuidadores com “muito amor”. Ainda segundo a mesma, uma atriz autista foi escalada para o papel mas “ela achou desagradável e estressante.”

Por um bom tempo nas redes sociais, ela ainda adotou uma postura mais agressiva em relação aos comentários que contestam sua visão. “Passei três anos pesquisando, acho que é por isso que estou tão chateada“, diz ela em um dos seus Tweets.

Quando a atriz Helen Zbihlyj desabafou dizendo “Vários atores autistas, inclusive eu … Todos nós dissemos que poderíamos ter agido em curto prazo. Essas desculpas são apenas isso – desculpas. O fato da questão é que nenhum esforço foi feito para incluir qualquer pessoa que seja realmente autista“; a única resposta de Sia foi: “Talvez você seja uma má atriz“.

Tudo piorou ainda mais quando a mesma disse ter apoio da organização Austim Speaks. Apesar de ser conhecida como a maior organização de defesa ao autismo, existem diversas polêmicas relacionadas a distorção de fatos, com mais de 60 organizações independentes alegando que não se sentem representados.

Tweet de Sia antes da conta ser removida

Entretanto, chegou a ser irônico ou cinismo, que após a indicação do filme ao Globo de Ouro e a visibilidade ter ficado maior, Sia resolveu pedir desculpas. Acrescentando que “Pretendo remover as cenas de restrição de todas as cópias futuras. Ouvi as pessoas erradas e essa é minha responsabilidade, minha pesquisa claramente não foi completa o suficiente, não foi ampla o suficiente.

Após isto, deletou sua conta e agora não se pronuncia mais sobre o caso. Mas como dizia Mano Brown “depois que inventaram a desculpa, nunca mais morreu ninguém“. Não foi por falta de avisos ou críticas que Sia realizou um filme preconceituoso. Avisos esses que foram recebidos com deboche e ignorância, mas agora tentam ser esquecidos com um pedido de desculpas.

Pessoas em situações de privilégio se sentem no direito de abordar qualquer assunto que não lhe diz respeito, apenas por poder. Falam como o único entendedor do assunto, ignora retóricas e depois que não existe mais saídas, pede desculpas e cria um drama. Pior de tudo: o Globo de Ouro e a Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood que resolveram nomear um filme como este e legitimar tudo que representa. Mesmo pedindo desculpas, não deixa agora de ser um “Duas vezes indicado ao Globo de Ouro”.

Então privilegiado, escute mais sobre o que não te diz respeito e absorva, esteja preparado pra ouvir críticas de diferentes tipos se errar e evolua com isso. Fazer cena, rebater, acusar de perseguição ou desrespeitar o conhecimento do outro não vai adiantar de nada, senão no final, só restará a opção de pedir desculpas sem ter aprendido nada.

  • Para outras novidades do mundo do entretenimento, continue ligado no nosso site.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui